O gayzismo não vai vencer!   

      

         O gayzismo tem seu representante maior no Congresso Nacional, o deputado Jean Wyllys,do PSOL (só poderia ser do PSOL).Indignado com a eleição democrática do deputado Marco Feliciano para o cargo de Presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias, o deputado Jean, intensificador do gayzismo, mobilizou a mídia - eterna apoiadora da desestruturação familiar,com exceções,claro- para fazer manifestações contra o deputado Marco Feliciano.

          O movimento gay tem todo o direito de se estabelecer,sem dúvida. Porém, querer ditar o nosso comportamento e opção de escolha de quem vai representar a sociedade, já é um acinte ao bom senso. Quero avisar ao nobre deputado que se ele foi eleito por voto popular, o deputado Marco Feliciano também o foi e com bem mais representatividade que este senhor chamado Jean Wyllys, defensor da heterofobia.

         O movimento gayzista (uma junção de gay com o nazismo) cresce porque tem a grande mídia dando o apoio. Apesar dos pesares, ter a Record na mão do Bispo Edir Macedo,não deixa de ser um alento.Pelo menos, existe um opinião contrária ao mar de rosas gay que, se não fosse ditador, poderia ser mais respeitoso.

         Ao invés de ficar mostrando a bunda nas passeatas, o movimento homossexual poderia acrescentar algo mais que a tolice e a idiotice de querer exibir o corpo como protesto.

Se eles não sabem conviver com a democracia, deixem o parlamento. Bem feito que o PSC, partido do deputado Marco Feliciano, não se curvou ao ataque gay. Eles falam em democracia para "inglês ver" e tentam usurpar o direito do "não".

        O gayzismo não vingará enquanto estivermos firmes no combate, não à posição sexual de cada um, mas no combate à ditadura comunista travestida de liberdade de expressão.

        Estamos na vigia. Lutaremos contra a discriminação religiosa e a heterofobia!!!!


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!